em Sem categoria

Já faz um tempo que os carros elétricos estão em alta. Eles se destacam por trazer motores mais limpos e diversas tecnologias úteis. No entanto, muitas empresas deste ramo estão fechando. Principalmente na China. Porém, de acordo com o portal Bloomberg, 12 fábricas de carros elétricos tiveram suas atividades encerradas no local.

E estamos falando de é um dos mercados que mais investem na tecnologia. Por lá, são oferecidas desde opções mais baratas (como o Wuling Hong Guang Mini EV) até carros de luxo (como os veículos feitos pela Tesla). Recentemente, a General Motors anunciou que irá investir US$ 300 milhões em uma startup de tecnologia chamada Momenta.

Algumas montadoras locais também se destacam. A BYD, por exemplo, vendeu 154.579 veículos com motor eletrificado no primeiro semestre (segundo a “Forbes”). Outras marcas fortes deste mercado são a NIO e a Xpeng. Sendo que a primeira se destaca por concorrer no mercado de carros premium. Sem falar que seus modelos sempre aparecem entre os mais vendidos.

Entretanto, agora elas estão fechadas. A Bordrin chegou até a fazer a pré-venda de um veículo. O utilitário esportivo iV6 se destacava por ter tecnologias suficientes para ser considerado um carro de nível 3 de condução autônoma. Estima-se que doze fecharam suas portas nos últimos meses.

Em entrevista à Bloomberg, o diretor-executivo da consultoria Blueshirt Group, de Pequim, Gary Dvorchak, disse que este é um acontecimento clássico do capitalismo.

“Você tem um zilhão de empresas e, então, há uma situação de excesso de oferta. Na China, esse processo falimentar demora muito mais do que em outros países, porque o governo chinês fornece todo tipo de socorro para as empresas. Infelizmente, algumas marcas terão que morrer, mas isso faz parte do negócio”, comentou.

E o valor investido na fabricação de carros elétricos não foi pequeno. O governo da província de Jiangsu conseguiu com que US$ 32 bilhões fossem investidos na construção de plantas para a produção de automóveis deste tipo. Hoje, elas ultrapassam a marca de 30.

Outro exemplo de fabricante que fechou as suas portas foi a Yinlong New Energy. Ela, que já fornece baterias de lítio, investiu US$ 1,6 bilhão para construir comerciais leves. Segundo matéria da Bloomberg, a expectativa era produzir 30.000 unidades por mais. A maioria seria de ônibus. A fábrica começaria a operar em 2018. No entanto, foi fechada.

“O que observamos foram muitas empresas correndo para construírem uma, duas, três, cinco fábricas de veículos elétricos, sem ter um único modelo disponível no mercado. Muitos pensam que é fácil produzir automóveis e, reconheço, se dedicam muito a este sonho”, afirmou o presidente-executivo (CEO) da Lotus, Feng Qingfeng.

Lembrando que podemos ver alguns veículos elétricos chineses por aqui. A JAC possui uma linha formada pelo hatch E-JS1, três SUVs (iEV20, iEV40 e E-JS4) e a picape iEV330P. Comerciais leves eletrificados também estão sendo oferecidos.

Com informações de Bloomberg e Forbes

Por: USM/Garagem 360

Postagens Recentes